Sem título

Encontrei-me nostálgico em meio a tantas roupas, fazendo as malas, vendendo a casa. Vou me mudar! Ela já foi. Iremos morar em outra cidade. Ela precisava viajar antes. Disse-me que necessitava resolver coisas urgentes. Ligava-me todos os dias, e todos os dias conversávamos sorrindo e cheios de saudades. “Te amo!”, ela me dizia. E eu repetia e ainda completava com “saudades…”.

Finalmente chega o dia de ir. Entreguei a chave para os novos donos da casa. Um amigo se propôs a me levar de carro ao aeroporto. No caminho, meu celular toca e era ela. Sua voz estranha, sem forças e tristonha. Ela chorava dizendo estar arrependida, mas sem dizer do quê. Meu coração encolhido, com medo de cada palavra que ela pudesse dizer. Algo acontecia. Insisti! Ela então disse: “Não venha mais… Eu não quero mais que você venha…”. Ela havia dormido com outro.

E foi como se o mundo deixasse de existir. Em um simples instante tudo perdeu o sentido. Tudo era somente uma dor. Das mais fortes. Daquelas que eu nunca senti. Era algo novo, algo terrivelmente incomum. Não consegui mais pensar em nada a não ser nela, a não ser na idéia de que tudo aquilo que construímos não existiria mais. Isto vinha até mim em forma de desespero, fantasiado de desesperança e vontades incontroláveis de pular a qualquer momento de uma sacada.

Não conseguia mais dormir. Nem tinha mais onde dormir. Tive de ir morar com meus pais. Tudo, simplesmente tudo, me lembrava o que vivi com ela e cada lembrança também me fazia lembrar que nada mais seria como antes. Busquei tratamento, e neste procurei por respostas, mas eu estava no lugar errado. Tentei ligar para ela desesperado, falei que a perdoava, só não queria era continuar a viver sem ela. Mas era tarde. Ela havia encontrado o que queria, aquilo que não tínhamos mais quando juntos, o tesão.

Fiz de tudo para ela voltar pra mim. Mandei recados, mandei flores, mandei histórias sobre tudo que vivemos. De nada adiantou. Tem coisas que simplesmente acontecem, e de nada adiantarão seus esforços, elas simplesmente não mudarão. Mas para descobrir isso você precisa tentar de tudo, jogar todas as suas cartas. Mas quando ver que você só está perdendo, então é hora de levantar da mesa e desistir do jogo.

Até que um belo dia, acordei, e a falta dela, eu não mais senti. Foram meses e meses, mas de repente aconteceu. Deixei com que acontecesse, sem medo… Foi quando me aconteceu outra coisa, outro amor. E o costume nos faz pensar e perder as esperanças. Mas o mesmo costume que constrói é também o que destrói. Tentarei fazer certo dessa vez.

Por Eric Alvarenga

Homem adora mulher que trai.
Essas eles não esquecem jamais.

2 pensamentos sobre “Sem título

  1. Sabias que a parte mais infernal do Inferno de Dante destina-se aos traidores?

    o Diabo é justo. 😉

    Beijão pra ti. =)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s