Eu amo meu trabalho, mas amo mais a mim

Estou doente. Mal à la gorge, como dizem os franceses. Faringite da braba com direito a hipertrofia das amígdalas devido à inflamação. Não passa nada… dói um horror.

Entre antiinflamatórios, pastilhas e sparys fico em casa, sem trabalhar, sabendo que não há outro médico para me substituir, no trabalho. Confesso que pensei algumas vezes se iria assim mesmo ou não, e resolvi ficar.

Para um vírus, o único remédio é o repouso. Ninguém acredita nisso, mas é a pura verdade.

Entre arriscar a minha saúde pelo trabalho e recuperá-la para voltar mais cedo à labuta, prefiro a segunda. Não adianta eu ultrapassar o limite da minha saúde e arriscar ficar muito mais tempo sem ir ao trabalho por pura teimosia.

Vejo muitas amigas se sacrificarem por seus trabalhos, ficarem doentes mesmo, sem poder dormir direito, cultivando escuras olheiras em uma face triste.

Eu amo o meu trabalho, desculpem! Mas eu amo mais a mim, sabe? Trabalho é ferramenta, não é vida. Trabalho é intrumento para me fazer feliz, não um sacrifício a ser levado tão a sério que possa comprometer a minha saúde, felicidade e minha beleza.

Não tiro plantões noturnos, não faço da pediatria o meu ganha-pão. Trabalho em um hemocentro que me deixa dormir as minhas oito horas do dia e que não em estressa. Sou extremamente feliz ganhando muito – para mim – e pouquísmo se comparado aos outros colegas de profissão.

E digo mais: muitos deles em desprezam por me acharem medíocre, mas muitos invejam a disponibilidade que eu tenho pra os meus amigos e para cuidar de mim.

Caro leitor, faça do seu trabalho uma das ferramentas, e não a única… se tiveres que faltá-lo para que melhores logo, falta. Para voltares firme e forte e fazer o teu trabalho direito e não fingir que trabalha enquanto estás doente. Além de ser um trabalho improdutivo, quem vai se dar mal, és tu.

Anúncios

4 pensamentos sobre “Eu amo meu trabalho, mas amo mais a mim

  1. Como diz a minha avó: “Médico também fica doente. Inacreditável, não?”

    Brincadeira! =P

    Jazz, você está certíssima! Não há nada mais importante, mais fundamental do que nós mesmos!

    Querida, melhoras, ok?! Tenho certeza que daqui uns dias você estará saudável, linda e forte para cuidar das suas crianças! 😉

    Beijão!

  2. nossa, achei que problemas com garganta e tudo mais só aconteciam aqui. Semana passada eu tava um horror por causa de uma amidalite também. Pudera, fazem quase três meses que chove direto aqui.

    E quanto ao corte de carboidratos, tô fora. Nada é tão digno quanto o macarrão que minha avó faz em casa.

  3. Ah guria…

    Eu parei com isso. De ficar me sacrificando demais. Todas as vezes que fiz isso, ir trabalhar quase assinando o certificado de óbito, me arrependi.

    Hoje não abro mão da minha saúde e qualidade de vida. Prefiro assim, do que me sacrificar em excesso.

    Beijos!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s