O Ecletismo Incompreendido

Ecletismo ou Ecleticismo é um método científico ou filosófico que busca a conciliação de teorias distintas. Na política e nas artes, ecletismo pode ser simplesmente a liberdade de escolha sobre aquilo que se julga melhor, sem se a apegação a uma determinada marca, estilo ou preconceito.

Significado particular: Escola de Victor Cousin (1792-1867): o objectivo desta filosofia é, segundo o seu autor, “discernir entre o verdadeiro e o falso nas diversas doutrinas e, após um processo de depuração e separação através da análise e da dialéctica, reuni-las num todo legítimo, com vista à obtenção de uma doutrina melhor e mais vasta.”

(Wikipédia)

Inicio o texto com a explicação científica do ecletismo e escrevo este post porque eu não vejo nada de errado – muito pelo contrário, em ser eclético. Na verdade, eu tenho um problema com o não ser.

Já citei aqui a minha opinião sobre as pessoas bitoladas, que se apegam a uma marca ou estilo e PRENDEM-se àquilo de uma tal forma, que simplesmente deixam de dar-se o direito de conhecer coisas novas que podem desagradar, ou não!

O eclético não é aquele que gosta de tudo! Mas o que se permite conhecer para avaliar o que é bom ou não, independente do rótulo que aquilo recebe.

Particularmente, eu não gosto do som pesado do heavy metal, mas outro dia um amigo me levou ao show do Madame Saatan, uma banda que toca esse estilo aqui em Belém, e eu pude constatar porque eles fazem tanto sucesso! Cara, o pessoal é bom pacas! Até eu cantei algumas músicas e pulei. Dentro do que oferecem, com certeza eles merecem destaque – e o meu respeito.

Então, antes de criticar aquela que vai num show de rock – e canta, e pula e sente as guitarras tremendo na alma; que dança como se estivesse com formigas na sandália em uma noite de samba; e também adora estar numa rodinha de violão cantando bossa nova – pense primeiro nas limitações em que você está se autoimpondo.

Tudo bem não gostar de certos estilos. Eu também não suporto estar em um lugar onde só toca sertanejo, por exemplo, mas tem que haver o respeito daquele que gosta. Afinal, nem vale a pena ficar irritado se entrar no carro de uma fanática sertaneja e ter que escutar o que ela gosta – o carro é dela (por sempre tolerar isso, acabei aprendendo algumas músicas do Victor & Leo e, não raro, flagro-me cantando a diaba da música da Fada!).

Além do que: incomodar-se com o gosto alheio e tão nada a ver que está até fora de moda 😉

Advertisements

11 pensamentos sobre “O Ecletismo Incompreendido

  1. Concordo garota! Eu não consigo ouvir um CD ou ver um DVD de um só cantor; mesmo que eu goste das músicas e de vários sucessos dele ,mesmo que este CD ou DVD seja dos maiores sucesso da carreira, depois da segunda música já quero ouvir outra voz, outro ritimo.
    Já minha esposa, coloca um DVD com todas as músicas de Fabio JR, só de forró, só de Fala Mansa, e passa o dia inteiro ouvindo as mesmas músicas com o mesmo cantor… credo!

  2. O problema não está no ecletismo, e sim na vontade de ser/sentir superior.

    O hype/indie/metaleiro e essas bostas todas querem compensar algo de muito grave na personalidade deles. Geralmente é o bocó sem habilidades social no colégio, ou o ridículo que quer pagar interessante… no fim acabam no mesmo gargalo: mania de superioridade, egocentrismo.

  3. Jazz, tu tens razão…
    Não podemos ser etnocêntricos e arrogantes e desrespeitar os gostos alheios. Confesso que sinto uma dificuldade imensa em ser eclética (ainda mais para gostos musicais), mas sou do tipo de pessoa que gosta de impor o meu gosto musical como o melhor. Precisamos respeitar, né.. aceitar já é outra questão!

    Beijos, querida!

  4. Falou e disse, esse lance de menosprezar e ficar borbulhando ódio em cima dos estilos é a pior coisa da atualidade.

    As pessoas não conseguem entender que cada um tem seu gosto, cada um escolhe seu próprio estilo, elas pensam que todo mundo deve gostar das coisas que ela gosta. =P

    Muito Tenso!

    Ser eclético é o que há, não é porque está tocando Justin Bieber ou Chitãozinho e Chororó que eu vou xingar todo mundo e querer ser o formador de opinião. =)

    Ótimo texto, parabéns.
    Douglas Silva

  5. “Ecléticos”, atualmente, são pessoas sem opinião própria – o que foge da definição correta do termo:

    Eclético – 1. que seleciona o que parece ser melhor em várias doutrinas, métodos ou estilos (HOUAISS)

    Pessoas que se auto-denominam “ecléticos”, geralmente, são aqueles que não possuem conhecimento musical algum. É o tipo de sujeito que só ouve o que está passando na rádio, no máximo baixa o que tocou na festa de sábado. É o “gado musical”. É o “em cima do muro” – pior do que um fundamentalista que vai de um lado para o outro é o que não saber para qual lado ir.

    – Engraçado é que tais indivíduos são os mesmos que respondem “vou votar em qualquer um, tanto faz, vão roubar do mesmo jeito”, mas não entrarei nesse mérito.

    Alguém citou “egocentrismo” e “mania de superioridade”, esse comentário me rir, pois, aposto que o sujeito deve ter orgulho de ser “eclético” e bate no peito dizendo: “Eu ouço de tudo”.

    Além de criticar quem se reserva a apreciação de um estilo musical, taxa de “megalomaníaco” e “desengajado social” quem, realmente, conhece e entende sobre um nicho específico da música.

    Independente da vertente musical, as pessoas devem se focar no que gostam. Pois, gostar de tudo é impossível! – vai me dizer que alguém coloca Metallica e Ivete Sangalo na mesma playlist?

  6. Pingback: 1° de Dezembro – Dia Mundial de Luta Contra a AIDS e o Preconceito « Poucas Palavras

  7. mto bom seu comentário sobre o assunto!!! entendo perfeitamente o que é gostar de várias coisas de estilos diferente, principalmente musical!!! realmente esse ecletismo é incompreendido msmo!!! temos um exemplo aê em cima, bitoladas, pessoas que não dão chance pra uma música sem ao menos escutar um pouco, baixo todas as músicas que blipo em ordem aleatória e isso que deixa minha playlist interessante.
    Sem problema em colocar Metallica e Ivete Sangalo na msma playlist, e pode ser acompanhada por Sandy e Jr tmbém!!! não chega ser uma ofensa né??!!!

  8. Gostei muito do seu post e gostaria de comentar o comentário de um colega que disse que os ecléticos sao pessoas que “não possuem conhecimento musical”…então quer dizer que precisamos , ou melhor, somos obrigados a ter conhecimento musical para curtir uma musica, ou varias musicas de gêneros musicais distintos? Desculpa, mas se você possui um vasto conhecimento musica, ótimo para você, só não pense que pessoas que são ecléticas precisam ter conhecimento musical e bla bla bla. Não basta generalizar, a pessoa que escolhe se quer ter conhecimento musical ou não.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s