The Mine is Yours

É que quando eu conheci você eu não poderia…

Alto, boca carnuda, sobrancelhas grossas, branco, cabelos e olhos tão escuros que não poderia definir se eram pretos ou castanhos-muito-escuros… só poderia dizer que eram marcantes. Assim como sua voz, que me arrepiava mesmo antes do toque.

E o toque não poderia acontecer. Eu namorava e era apaixonada. Você estava feliz ao lado dela, que era linda, sorridente e tinha um coração bom. Mantive uma distância segura entre mim e os meus desejos vindos do teu cheiro. Não te olhava, por medo de me denunciar.

Então você me chamou para dançar e eu fui. Minha mão suava sobre a sua e eu olhava o tempo todo para baixo. Medo do meu olhar se encontrar com o seu, e não resistir à toda aquela quentura que me subia tentando acompanhar seus movimentos de maneira desastrada; tentando esconder o nervoso que a briga do anjinho com o diabinho me causavam.

O tempo passou, o mundo girou e o vento soprou ao nosso favor…

Agora contamos segundos para um novo toque, uma nova descoberta. Enquanto você me (d)escreve em mensagens privadas (que bem poderiam ser publicadas porque são tão boas que não deveriam ser guardadas pra mim – mas eu guardo porque sou egoísta, e são MINHAS e não quero mais que ninguém leia…).

Seu cheiro inspira meu desejo, e agora livre, entrego-me ao diabo nesse pecado delicioso que nos espera. Luxúria, entrelinhas, suores, entre caracteres, nossas secreções sedentas pela mistura entre elas. Entra. Entra na minha vida. Entra e sai. Entra e fica. Mexe. Tira. Entra. Fica.

Quero o seu querer. Quero o seu poder, a sua potência, toda essa suculência do teu antebraço envolvendo as minhas costas. E seu rosto esfregando em meu colo, lambendo o meu suor que escorre como acontece em outras (p)artes com outros fluidos que umidificam a nossa união e selam como (e)terna, do momento em que fecho os olhos, até quando gemo de prazer.

Nessa telepatia insone e insana, que não me deixa dormir por estar suficientemente acesa, só por te esperar.

You’re mine, your fucking teaser. You are all mine.
And I’m yours. At least, for a while.

Advertisements

8 pensamentos sobre “The Mine is Yours

  1. O tipo de inspiração pra esses textos vem de uns desejos bem profundos ou de experiências realmente vividas. Foi qual das duas heim? rsrsrs

  2. tavas inspirada nesse não é? eu suei frio aqui só de ler…adorei mesmo assim como seu novo avatar, vc é unica mesmo #ADORO bjs

  3. A vida é cheia de reviravoltas sensacionais. Ou, jazzisticamente falando, “loopings vezenquando” (embora esse vezenquando quasessempre seja um quasessempre na vida da gente).

    “É que quando eu conheci você eu não poderia…” e foi melhor assim (ou preferimos acreditar nisso). Um era mais imaturo, o outro estava numa fase sentimentalmente instável. Mas o que é nosso está guardado. Sempre!

    E quando o que está aguardado acontece!!! Os olhares, os toques, os suores, o calor e o nervosismo do momento… Uma dança deslocada no tempo, antecipando o que viria a ser. Uma viagem no tempo, como uma lembrança, mas com sinal trocado.

    Proibido para menores. Proibido (até) para maiores!
    Intensamente erótico (sem resvalar para o pornográfico). Estou suando… Estou trêmulo. E estou sozinho…

    Desejo esse amor para vocês: Você, toda dele. E ele todo seu.
    Intensamente.
    Inteiramente.
    Infinitamente.

  4. PS: Querida Jazz, faça um favor a todos os solteiros, os sozinhos e os que estão longe da pessoa amada: coloque um aviso bem grande no início do texto advertindo do perigo…

  5. Uia… me animei nesse final de post, hahaha.

    Paixão é uma porcaria faz a gente se esqueçer de tudo e fazer de tudo pra ter quem a gente qr ao nosso lado.

  6. Esta seu texto me lembra um poema que etou fazendo…

    Sentir seus braços,
    Suas pernas como se estivessem a ponto de explodir
    Tuas mãos no meu coração
    Tamanha é à vontade de expressar os sentimentos.
    Meu coração girava,
    Percorrendo o mundo levando a alma aos céus
    Palavras ao som da sua voz,
    A salvação a meus instantes perdidos.
    Meu coração querendo pular pela boca
    Como se estivesse arrematando meus sentimentos a ti
    Meus olhos como se fosse uma flecha
    Rumo ao alvo, corria para teus olhar,
    É assim que me sentia enquanto me beijavas,
    Não conseguido pensar em outra coisa
    A não ser extrair do teu cerne o pólen da vida,
    Expressa no teu sorriso do teu gostar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s