Como Livrar-se do Ex que Não Larga do Seu Pé

“Jogado aos seus pés… eu sou mesmo exagerado!
Adoro um amor inventado…

Ora, ora, ora… você terminou com o rapaz e ele não te deixa? Quem você acha que é culpado disso tudo? O destino? O azar? Baby, não tente se enganar! É você quem permite isso. Aliás, ouso dizer que somos nós os responsáveis pela maioria das posturas desrespeitosas de todas as nossas relações.

Vamos começar com o básico:

Ele te liga, você atende – tudo bem, algumas coisas devem ser acertadas depois do término de uma relação. Às vezes, nosso livro emprestado ficou e queremos de volta ou outros objetos. Tudo bem ligar uma ou duas vezes para resolver isso… Porém, quando você percebe que as ligações não param, NEM DIMINUEM com o tempo e, não raro, transformam-se em D.R. (sendo que não há mais uma relação na ocasião) está mais do que na hora de dar um basta nisso. Nem precisa avisar que você não vai mais atender! Isso geraria uma discussão maior ainda entre os “porquês” da história. Simplesmente, pare de atender!

Você já não atende, mas ele liga de números diferentesOh, Wait! Então, estamos tratando aqui de um neurótico que precisa de tratamento. Ou, no mínimo, de um menino mimado que esqueceu de levar broncas da mãe quando pequeno. E você, vai se prestar a brincar de mamãe agora? Não, né?! Você é diva e nem teve filhos ainda (ou teve, mas ele não é um deles!). RELEMBRANDO: nem namorado, agora, ele é! Sendo assim, logo que você perceber que se trata do indivíduo, você desliga. No entanto, não adianta desligar o telefone, ficar preocupada, blá, bla, blá. TEM QUE DESLIGAR MESMO!!! Não só o telefone, mas desligá-lo da sua vida! Ele é um adulto, cara leitora. Você terminou a relação, agora, cada um para o seu lado e que se vire. Se ele tentar se matar ou qualquer coisa que o valha, NÃO É CULPA SUA! É imaturidade dele. E cair nesse tipo de ameaça é querer viver assim, escrava de dramas alheios. Não pode.

Ele teima em virar melhor amigo da sua mãe: ou do seu melhor amigo, ou alguém mais que seja bem próximo. Sendo assim, converse com a pessoa em questão. Deixe bem claro que não há volta e que se eles quiserem manter uma relação, que você não esteja no meio.

Ou seja, para dar um fim, é preciso colocar um ponto final de vez. Ter pena, dó, piedade… a gente tem de quem realmente precisa (os que tem fome, doenças, os que realmente precisam de ajuda). Dos LOUCOS, a gente corre, ou manda pro psicólogo (eu, geralmente, faço os dois: corro e deixo um bilhetinho com o endereço de um terapeuta).

A regra básica é não fazer plateia para quem quer dar show. É um ótimo remédio para a pessoa se tocar e olhar para si mesma.

E quem nunca teve seu momento neurótico? De implorar e perder a dignidade diante de um término? Eu mesma aprendi assim. No dia em que liguei para um ex e ele falou: “Jazz, olha pra frente!”. Eu me manquei. Parei e olhei pra frente. Tinha um loirinho lindo de olho verde a fim de mim e eu comecei a namorar de novo.

Então, querida, CORAGEM! E assim, você poderá ajudar a si e, até mesmo, indiretamente, a ele. Depois que os ânimos se acalmarem, daí vocês viram amigos. Pois, ao meu ver, terminar e virar amigo instantaneamente pode ser muito mais doloroso do que um afastamento necessário para a reorganização de ambas as rotinas.

Força! E depois conta pra gente se deu certo!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s