DSTs: você está exposto! – Parte 1 [+18]

Publicado em 2 de novembro de 2010, no blog Muita Pimenta
Às doenças sexualmente transmissíveis (DST), todos os sexualmente ativos estão expostos, isso inclui aquelas pessoas que se acham “virgens”, mas mantem outros tipos de relação sexual

O simples contato pele-com-pele já expõe o indivíduo a risco para muitas dessas doenças. Ou seja, esfregou, brincou, beijou, PEGOU. Alguns exemplos:

HERPES

DSTs: você está exposto!   Parte 1É uma das DSTs mais contagiosas, e a transmissão ocorre no contato direto com as lesões causadas pela doença. Essas lesões se apresentam como vesículas ou bolhas que podem aparecer nos genitais, na boca ou em qualquer outro órgão. Elas ardem, dóem e coçam – mas no início e no final da crise (o vírus só causa lesões quando a pessoa tem uma queda na imunidade) os sintomas são mais leves e MESMO ASSIM pode haver contaminação.

Não há CURA para a Herpes. O vírus sempre vai estar lá no organismo e qualquer alteração da imunidade (viroses, estresse, anemia…) poderá se manifestar com as lesões citadas anteriormente. A boa notícia é que ela não é transmissível no período entre  as crises.

CONDILOMA ACUMINADO – HPV

DSTs: você está exposto!   Parte 1

Também denominado VERRUGA GENITAL ou CRISTA DE GALO, devido as suas lesões que coalescem, formando este aspecto. Há mais ou menos uns 100 tipos de Papiloma Vírus. Alguns deles, geram as lesões que são vegetativas, de crescimento progressivo em tamanho e número, outros tipos, ocasionam mudanças celulares podendo ocasionar o câncer de colo de útero, de pênis e também, o de garganta (então é muito válido, proteger-se também no sexo oral!).

O vírus é altamente transmissível pelo contato direto ou indireto com as lesões (isso significa que até usando roupas íntimas ou toalhas de outra pessoa, é possível pegar a doença).

A má notícia é que mesmo em seu período de latência (sem lesões aparentes) o HPV pode ser transmitido.

A boa notícia é que já existe uma vacina que protege de alguns tipos de papiloma vírus (os que provocam câncer), no entando ela ainda não está disponível no SUS e ainda é caríssima nas clínicas particulares.

GONORREIA – BLENORRAGIA – “ESQUENTAMENTO”

DSTs: você está exposto!   Parte 1As três palavras acima denotam a mesma DST. Também denominada uretrite gonocócica, é causada pela penetração da bactéria pelo orifício uretral (o buraquinho por onde sai a urina). Os primeiros sintomas são dor ou ardor ao urinar e saída de uma secreção gosmenta (pus) pela uretra.

A má notícia é que nas mulheres, os sintomas são BEM DISCRETOS ou mesmo inaparentes. Então muito cuidado ao transar com aquela gata, sem camisinha e aparentemente MUITO GOSTOSA, se no outro dia, for urinar e arder pra caramba!

Assim que perceber algum sintoma, procure imediatamente um médico e avise para a GOSTOSA (isso, se você ainda tiver alguma consideração com ela) para que ela se trate também.

Vale ressaltar que o contato com a secreção pode causar CONJUNTIVITE GONOCÓCICA que é a infeccção do globo ocular  que, frequentemente, afeta recém-nascidos que passam no canal de parto enquanto suas mães são portadoras da infecção, mas também pode ocorrer em adultos que expõem seus olhos à secreção do indivíduo infectado. Se não tratada à tempo, causa complicações até a cegueira.

E no sexo oral sem proteção com um infectado, pode-se pegar a FARINGITE GONOCÓCICA que se manifesta com dor de garganta e ao engolir, podendo aparecer também um exsudato purulento com edema (inchaço) local.

SÍFILIS

Também conhecida como Lues, peste sexual, doença gálica, sifilose, doença britânica, doença venérea. É transmitida pela relação sexual desprotegida com parceiro infectado. E possui três fase ativas (onde aparecem os sintomas) e duas fases LONGAS de latência (onde o indivíduo é portador assintomático, contudo, continua transmitindo a doença mesmo sem nenhum sintoma).

– Sífilis Primária: O CANCRO DURO.

DSTs: você está exposto!   Parte 1É uma lesão que aparece entre 10 a 30 dias após a contaminação. É um sinal mais difícil de ser detectado por não causar sintomas locais importantes como dor, edema ou secreções. Essa lesão é rica em treponemas (o germe que ocasiona a doença), então o simples contato com a lesão já pode contagiar a pessoa.

Trata-se de uma úlcera limpa e sem odor característico, podendo esconder-se dentro das paredes da vagina (impossibilitando a identificação na mulher) e passando desapercebida. Pode ocorrer aparecimento de lindonodomegalias (as conhecidas “ínguas”) na virilha.

O cancro duro desaparece em mais ou menos, um mês – dando a impressão de cura, ao indivíduo. Ledo engano… É quando a lesão desaparece que a doença entra em sua primeira fase de latência (assintomática) que pode durar de 1 a 6 meses… até a segunda fase ativa da doença se manifestar.

– Fase Secundária: Acometimento Sistêmico do Organismo.

Nesse período, a bactéria já está passeando pelo seu sangue (disseminação hematogênica) causando sinais e sintomas nos outros sistemas do organismo. A essa altura, a pessoa já se esqueceu da feridinha que aparecera há uns meses e nunca vais desconfiar que a doença de hoje, tem a ver com o sexo desprotegido de tempos atrás.

Aparecem manchas pelo corpo, podendo ou não causar coceira local, crescimento do baço e fígado (aumentando assim a circunferência abdominal), “ínguas”, entre outros sintomas gerais, como mal-estar, dores no corpo e febre. Manifestações parecidas com meningite também podem ocorrer.

Em todas as lesões da sífilis primária e secundária, há uma quantidade significativa do treponema, permitindo a contaminação direta através do contato.

Ao término da fase secundária, a doença entra novemente em seu período de latência que pode durar de três a DOZE anos até a sua terceira fase ativa (a Wikipedia relata um caso em que demorara 50 anos para sua manifestação).

– Fase Terciária: Neurossífilis ou Neurolues.

Em sua fase tardia, a Sífilis acomete o Sistema Nervoso Central causando Paralisia Geral Progressiva, assim como alterações cardiovasculares e dermatológicas (desta vez, isentas do treponema).

Geralmente, é na fase secundária que o paciente procura um médico, porque tais manifestações o incomodam. Antes da descoberta do antibiótico, praticamente TODAS as pessoas com sífilis, evoluiam para a fase terciária. Hoje em dia, isso acontece mais raramente.

A boa notícia é que existe o tratamento para tais afeccções, a má notícia é que ele é MUITO DOLOROSO, porque sua administração é via INTRAMUSCULAR. A má notícia é que a doença é transmissível TAMBÉM em seu período de latência (ou assintomático).

DSTs: você está exposto!   Parte 1

Com camisinha, não se pega!

Essas doenças são facilmente evitadas com o USO DA CAMISINHA.Vale ressaltar que a camisinha DEVE estar presente também no sexo oral – hoje em dia há várias com opções de aromas e sabores no mercado podem até melhorar o ato.

* Mais informações aqui.

Anúncios

Um pensamento sobre “DSTs: você está exposto! – Parte 1 [+18]

  1. Pingback: 11 Maneiras Surpreendentes de Viver Mais « Brabul.com

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s