Amar é SER uma Boa Companhia

Já passei um longo período achando que não era uma boa companhia por ter dificuldades em engatar um namoro longo, por ter falsos amigos (que vêm e vão, graças a Deus) ou por alguns outros reveses que tive na vida.

Hoje percebo que sempre estive em companhias certas, mesmo quando elas nem foram tão legais assim. Pelos meus inimigos de 2009, comecei a terapia, centrada sempre no autoconheimento e passei a me importar mais com quem realmente vale a pena: eu mesma.

Desde então, passei a andar mais com quem me deixava muito para baixo. Passei dois anos divertídissimos com essa pessoa e, finalmente, no começo desse ano dei o grito de independência para começar a ser feliz e aceitar somente aquilo que me agrada.

2010, 2011 foram anos de autolapidação e agora, em 2012, estou colhendo os frutos. Finalmente, (acho que) aprendi a amar e a SER uma boa companhia. Como sei disso? Apenas as pessoas mais legais estão do meu lado agora.

Pessoas divertidas, que me criticam com carinho (e não com a sede de se sentir superior em cima das críticas). Gente normal, como eu, que não é perfeita, mas não se cansa de tentar.

E quem (se) ama, nem se quiser, consegue ficar só.

Outro dia, expus no facebook que queria conhecer um certo lugar novo na cidade, e muitas pessoas quiseram me acompanhar. E, para tristeza de todos… nesta sexta terei que trabalhar à noite (voltei a fazer plasmaférese: um dia conto pra você do que se trata).

Quando se sabe que você É uma boa companhia? Quando todo mundo (que vale a pena) quer estar próximo a você.

Então, hoje (acho que) sou uma boa companhia. Deve ser reflexo de tudo de bom que anda acontecendo na minha vida. Novos horizontes profissionais, novas surpresas promissoras, novos amigos, novas companhias que me fazem sorrir ao deitar-me, novas atividades… um novo TUDO.

Não caiu do céu, leitor. É preciso muito trabalho (árduo e doloroso) para esculpir a si mesmo ao ponto de nos aceitarmos como somos e o que temos.

E o trabalho não é finito. É constante e contínuo. E, por isso mesmo, já é gratificante por ser caminho, nunca finalidade. O regozijo é a reação diante da ação, igual e contrária, como afirmou Newton.

É ciência, não religião. É fato, não crença. É destino. Ponto.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s