O Seu Olhar

♫ Leia ouvindo O Seu Olhar.

Eu não o conheço. Não sei quem você, o que gosta de fazer, como fala, como sorri, eu apenas imagino.

Imagino que você seja forte. Nem tanto de músculos, mas, pelo menos, de personalidade. Forte nas ideias, nas vontades, nas atitudes. Firme, principalmente, sobre o caráter. Maduro.

Além disso, deve haver algo de diferente no seu olhar. Além de ver, você enxerga e absorve o que tem ao redor. Numa troca de energia intensa, fazendo com que você mesmo se transforme naquilo que vê. E o que enxerga, vira imagem criada em sua mente, podendo até parecer melhor que a realidade mostrada ali.

O poder de amar e mudar as coisas. O modo de ver, o modo de sentir, o interagir com a realidade. O descobrir o que há por trás das aparências. Um poder sublime, de poucos.

Quem será você, que agora lê com curiosidade, tentando descobrir o que quero dizer? Quem é você que sorri em segredo, imaginando que “poderia ser eu!”.

Só seria você, caro leitor, se não soubesse de minha existência até então. Porque eu nunca tinha ouvido falar o seu nome antes. E talvez, só agora, lendo este texto, você vá encontrar algo a mais sobre mim e quem sabe, agora, sorrindo com propriedade, irá manter algum contato.

Prudente, como eu imagino que seja, não suponho que faria (e seria legal se eu me surpreendesse, nesse caso). Talvez sim, talvez não. Talvez fosse paciente – como eu merecia – e esperasse o dia do nosso encontro. Ou fosse ansioso, como eu, e mandasse um “oi” despretensioso em alguma rede social em comum.

Não sei se você é tão sério como parece ou isso seria só uma pose. Só sei que é gostoso pensar que poderia dar certo. Eu e você, você e eu, que ainda não nos conhecemos, não nos sabemos, não nos sentimos – ainda.

Apenas  tenho a certeza de que se seu olhar for mesmo absorvente-mutante-transformador, como eu moldo em meus sonhos, eu mesma sentiria os efeitos desse tal olhar.

Gosto do que imagino, gosto dos sonhos que tenho sobre como poderia ser, gosto de imaginar e mesmo nesse mundo de ilusão no qual me tranco, dessa vez, eu teria a coragem de encarar o que é real e descer do paraíso para pisar na Terra… só para me encontrar com esse seu olhar diferente de todos os outros, e ver se o meu olhar aprende a aceitar o diferente e, quiçá, transformar também essa realidade em algo mais belo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s