Desbravando o Ceará em Três Dias

Em um Fugere Urbem totalmente improvisado com os amigos, conseguimos reunir 15 pessoas em um destino comum: O Ceará!

Ficamos em uma Pousada super simples, a Pousada do Turista, ocupando dois quartos quíntuplos, um quádruplo (o meu) e um duplo, de casal.

Foto tirada pelo atendente da Pousada.

Foto tirada pelo atendente da Pousada.

 O quarto quádruplo era pequeníssimo para nós quatro, com uma cama de casal e um beliche, um banheiro que era pequeno até para mim que sou quase anã. Mas estava tudo limpinho, o serviço era bom, os atendentes bem dispostos e até acordavam a gente antes de retirarem o café da manhã (eu que sou gulosa, adorei essa parte, porque prefiro comer a dormir!!). E eles retiram o café às nove horas, mais cedo que nos hotéis que costumo ficar.

No café a manhã, pães brancos, integrais, de queijo (delícia), ovos mexidos, queijo, presunto, frutas (mamão e melancia), sucos naturais, café, leite e achocolatado. Sem contar os bolos (que só provei porque o projeto TOP continua até outubro de 2013).

A primeira parada foi a Avenida Monsenhor Tabosa, que ficava bem pertinho da pousada e dava para chegar a pé. É uma rua de estabelecimentos comerciais com muitas coisas interessantes e em promoção. Destaque para sapatos e bolsas de baixo custo.

Almoçamos em no Restaurante Brazão, assim com Z mesmo. Peça carnes, o filé estava um espetáculo, já o peixe não teve tantos elogios. Depois do almoço, #partiu Praia do Futuro, barraca Crocobeach.

galera saltando

A dica para o Crocobeach é – saia enquanto ainda houver táxis. Nós ficamos além da conta e tivemos que esperar mais de uma hora para alguma companhia enviar dois táxis para nos resgatar. O lado bom é que deu pra parar para tomar um açaí na Barraca do Jojô. Ele se casou com uma mulher paraense e foi eleito o melhor açaí da região pela revista VEJA. Destaque para a hostess de um ano e pouco chamada Maria Flor, a filha do proprietário: uma simpatia apaixonante!

Quase sem forças, fomos à Feirinha da Beira-Mar, que vende artesanato e castanhas de caju, entre outros tipos de souvenir. Mortos de cansados, dormimos com se não houvesse amanhã! Mas havia.

No outro dia, fomos até o Porto das Dunas, também conhecida como a Praia do Beach Park. Todos nós já conhecíamos o parque, então optamos por fazer o passeio de buggy, com emoção. Tiramos umas fotos maravilhosas e nos divertimos bastante. Leve a água a tiracolo pois o calor é de rachar!

À noite, caímos na balada sertaneja do Fiteiro. Ao contrário do marketing negativo que lemos no foursquare, fomos muito bem atendidos a noite toda e não tivemos problemas com a conta. Mesmo assim, ficamos de olho na nossa comanda.

No último dia, o taxista nos levou para uma barraca chamada Chico do Caranguejo, que estava lotada, tinha um aqua-parque para crianças, bem parecido com as praias-povão que temos aqui no Norte. Não curtimos e voltamos para a maravilhosa e chiquérrima Crocobeach.

Atenção apenas para algumas pessoas que curtem contar os seus dramas de sou-pobre-fui-assaltado que tem aos montes e sempre miram turistas para o golpe. Sei que nem tudo é golpe, mas como as histórias são sempre parecidas e recorrentes, eu não costumo dar a mínima atenção a elas. Esse é o lance mais desagradável de Fortaleza, que acontece desde que fui a primeira vez em 1996, repetiu-se em 2007 e agora foi a mesma coisa.

Mas de resto, foi só alegria!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s